Arquivo da tag: para quem

Remixofagia!

English: Current Brazilian President Luiz Inác...

Image via Wikipedia

Para refletir e entreter-se neste domingo,assista ao vídeo “Remixofagia – Alegorias de uma Revolução”, que  foi produzido pela Casa da Cultura Digital, remixado/dirigido por Rodrigo Savazoni e pela produtora Filmes para Bailar.

“A CCD é um espaço de troca, por onde circulam idéias, projetos, pessoas. São pessoas e organizações tentando encontrar um modo de convivência e de convergência que respeite as individualidades, as diferenças, as diversidades. Para quem acredita que o digital é algo mais do que uma mudança estética.”Fonte : site do CCD

Um filme necessário e que resume bastante bem a situação atual da cultura digital no Brasil e no mundo! Nesta terra antropófaga , um povo mestiço sintetizou uma nova forma de cultura!

Com as novas formas de tecnologia e as novas estruturas disponíveis, e contando com redes de informação cada vez mais descentralizadas, é chegada a hora de incluir e não proibir, unir e não excluir! Tirar a hegemonia  e democratizar o acesso a cultura!

Está na hora de fragmentar o poder e dar livre acesso ao povo incentivando consultorias publicas por meio da cultura digital para que cada cidadão possa intervir.

Precisamos passar a ver a Cultura como um bem acessível por toda e qualquer pessoa independentemente da origem social, e promover inclusão digital e social para que todos se tornem protagonistas e produtores do processo.

Somente a través da subjetividade de cada ser humano poderemos criar uma biblioteca universal com um  conteúdo cada vez mais rico!

Depoimentos de Lula, Dilma, Gilberto Gil…, sobre a necessidade de harmonizar e equilibrar a balança entre a propriedade intelectual e o direito de acesso a cultura. Defender os direitos dos criativos é necessário para que continuemos tendo artistas que vivam de sua arte mas é também importante poder divulgar esta mesma arte para cada vez mais pessoas!

“Remixofagia é um pequeno e necessário manifesto sobre a cultura digital brasileira:

A 2º parte do vídeo foca naquela ideia  de que as corporações correm atrás do velho lucro e tentam impedir a cultura de ser livre. Aí entram diversas falas para ilustrar os argumentos, especialmente dos defensores da cultura livre/digital. Destaque para os dizeres sempre lúcidos/viajantes de Gilberto Gil: “as corporações começam a se defrontar com o fantasma do custo zero, e aí o capitalismo entra em parafuso, onde é que nós vamos ganhar dinheiro?“.

E de Cláudio Prado:

O Brasil é o remix total. Por isso que quando bateu aqui as pontas dessa nova realidade colaborativa que estava pra nascer no mundo, ela encontra um terreno extremamente fértil no Brasil, e por isso se explica a demanda por uma política pública de banda larga“.

O raciocínio implícito da fala de Prado pode ser: se o Brasil já anda tomando a frente mundial em diversas frentes pró-cultura livre e digital com uma banda larga de quando muito 1 mega (!) que temos – que nem a todos lugares chega, e quando chega ainda pode ser muito caro – imagina quando se tiver um plano de acesso à rede decente, barato e acessível a (quase) todos, como já acontece em muitos lugares do mundo, como em Portugal, e se quer implantar aqui através do Plano Nacional de Banda Larga, ainda que com muitas restrições de velocidade, locais e preços.”

texto entre aspas encontrado no blog  baixa cultura !

Etiquetado , , , , , , ,
%d blogueiros gostam disto: