Arquivo da tag: Open Source

Conhecem o Virtuose Marketing?

O Virtuose Marketing é um blogue francês cujo conteúdo está quase que totalmente sob copyleft. Isso significa que esse conteúdo pode ser livremente copiado, modificado e redistribuído. 

Copyleft - Orange


As pessoas sempre foram possessivas em relação aos seus direitos autorais mas hoje em dia surge uma nova perceção do assunto e muitas pessoas percebem os benefícios evidentes de recorrer ao copyleft.

Os artigos podem ser utilizados para fins lucrativos ou não, em todo local, site, etc…

Não é sequer necessário avisar ao autor do blogue, ou pedir qualquer tipo de autorização (o autor informa que todas as autorizações já estão automaticamente garantidas)

Por que estamos 100% de acordo com o texto do blogueiro francês, traduziremos abaixo um artigo do blogue Virtuose Marketing em que o autor explica as razões que o levaram a escolher esse tipo de licença para seu blogue.

“Foi como uma evidência”:

“Era a coisa mais lógica a ser feita para dar seguimento a essa mentalidade de compartilhar que venho tentando desenvolver no Virtuose Marketing.”

“Penso que a licença livre seja a melhor maneira para incentivar o ato de partilhar, e por consequência, ajudar a criatividade. A explosão do Open source está ai para provar (o Wordpressteria se transformado no que é hoje se não tivesse sido em Open Source?).”

“Acredito também que toda a criação intelectual deveria se liberar das barreiras do copyright. Porque o copyright protege somente a indústria e não a cultura ou os artistas. Tenho a convicção que somente na partilha a cultura poderá florescer e que de tanto impor barreiras ao compartilhamento, impedimos justamente o desabrochar da cultura.”

“Por isso precisamos criar uma cultura livre que possa ser apropriada por todos.

Um material que poderia ser utilizado por todos para criar algo novo. Aliás, isso é o que os artistas têm feito desde o começo da humanidade: copiam, modificam e aperfeiçoam o que já existe, para executar novas criações.” Tudo o que conhecemos foi de uma forma ou de outra inspirado por algo que já existe.

“Se alguém se apropriar de meu trabalho, e aperfeiçoá-lo, então eu terei orgulho e todo mundo sairá ganhando.”

«Você não tem medo de incentivar a cópia, o plágio, a pirataria, e que isso possa trazer problemas?»

“É impossível impedir totalmente a cópia na internet. Nesse sentido mais vale autorizá-la.”

Cory Doctorow, autor de SF e do blogue Boing Boing, dizia:

«Se amanhã acabássemos com a cópia na internet, terminaríamos também com a cultura na net. Sem sua mina de vídeos considerados em infração de direitos autorais, YouTube desapareceria…”

Todo o trabalho de Cory Doctorow está em copyleft. Até mesmo seus livros.

“Penso também que o principal dos escritores e dos blogueiros” (Zarpante diria também dos músicos, dos pintores, cineastas, e outros criativos) “não seja o plágio, mas sim o fato de permanecerem desconhecidos e anónimos”. “Tenho a convicção que o copyleft é a solução ideal para sair da escuridão e ver seu trabalho sendo divulgado.”

“Leo Babauta é um outro bom exemplo.”

“Seu blogue Zen Habits está em copyleft. Isso permitiu que Olivier Roland criasse seu blogueHabitudes Zen, no qual ele pública as traduções dos artigos de Leo Babauta que passa a poder ser lido e conhecido por pessoas francesas que não falam inglês.”

“Por essas e por outras acredito que a cópia não esteja aqui para frear a produção cultural, mas para alavancá-la.”

“Aliás, não foi permitindo a todos a cópia ilegal de windows que o Bill Gates fez seu software ficar mundialmente conhecido?”

« Você não tem medo que o Google te penalize

“Google não é meu deus!”

“Nunca me preocupei muito com o referenciamento e isso nunca impediu ao Marketing Virtuose de ter visibilidade

Prefiro agir no sentido de agradar a todos meus leitores, não um robot. Prefiro privilegiar o humano e até hoje isso se revelou ser uma boa estratégia para mim.

Prefiro privilegiar o humano porque dessa forma incentivamos a troca, o “boca a orelha”, e favorecemos a criatividade.

Isso para mim é muito mais importante que um posicionamento Google.”

Saibam que se pensam assim, já deveríamos estar trabalhando juntos, porque na nossa perceção, um dos grandes problemas dos artistas de hoje em dia é a obsessão que eles tem por seus direitos autorais e consequentemente o fato de que poucas pessoas acabam conhecendo os trabalhos de tanta gente mais preocupada com os direitos autorais do que com seus talentos. Se você tem um talento, não é porque te “roubaram” uma música ou um texto, que você não pode compor uma música ainda melhor ou escrever algo ainda mais completo. O que vocês acham pessoal? Suas opiniões nos interessam!

Não sabemos quantos artistas irão realmente ler este artigo mas gostaríamos que compartilhassem seus pontos de vista sobre o assunto com Zarpante. Deixem comentários, criticas, artigos relacionados, etc…

 

 

 

 

 

Etiquetado , , , , ,

Copyleft: a arte de compartilhar

Não tenha medo do copyleft! Descubra abaixo um artigo sobre o copyleft publicado em um dos sites pioneiros no assunto.

O símbolo de copyleft é um “c revertido”. (um © invertido) Como existem várias licenças de copyleft, as implicações do símbolo decopyleft não são tão precisas como as do símbolo de copyright, a não ser que se indique também qual a licença aplicável

Copyleft é uma forma de usar a legislação de proteção dos direitos autorais com o objetivo de retirar barreiras à utilização, difusão e modificação de uma obra criativa devido à aplicação clássica das normas de propriedade intelectual, exigindo que as mesmas liberdades sejam preservadas em versões modificadas. Ele difere assim do domínio público, que não apresenta tais exigências; enquanto o domínio público permite qualquer utilização de uma obra, o copyleft, tem, via de regra, a única exigência de se poder copiar e distribuir uma obra.1 O copylefttambém não proíbe a venda da obra pelo autor, mas implica a liberdade de qualquer pessoa fazer a distribuição não comercial da obra.2

O copyleft denomina genericamente uma ampla variedade de licenças que permitem diferentes modos de liberdades em relação a uma obra intelectual. Seu nome se origina do trocadilho com o termo “copyright“; literalmente, copyleft pode ser traduzido como “esquerdo de cópia” ou “permitida a cópia”.3

Richard Stallman foi um dos responsáveis pela popularização inicial do o termo copyleft, ao associá-lo, em 1988, à licença GPL. De acordo com Stallman 4 , o termo foi-lhe sugerido pelo artista e programador Don Hopkins, que incluiu a expressão “Copyleft – all rights reversed.” numa carta que lhe enviou. A frase é um trocadilho com expressão “Copyright – all rights reserved.” usada para afirmar os direitos de autor.

Uma obra, seja de software ou outros trabalhos livres, sob uma licença copyleft requer que suas modificações, ou extensões da mesma, sejam livres, passando adiante a liberdade de copiá-la e modificá-la novamente.

Uma das razões mais fortes para os autores e criadores aplicarem copyleft aos seus trabalhos é porque desse modo esperam criar as condições mais favoráveis para que mais pessoas se sintam livres para contribuir com melhoramentos e alterações a essa obra, num processo continuado.

Fonte: Wikipédia, a enciclopédia livre. (clique aqui para ler o artigo completo)

Zarpante, acredita que esse seja um dos melhores meios para que novos artistas conquistem um público e possam ir criando uma mailing list sólida de fãs e colaboradores. Claro que todo artista tem que viver e merece poder fazê-lo graças ao seu trabalho artístico, mas o mais importante pode ser simplesmente ter muitas pessoas que escutam e acompanham seu trabalho, e para isso, nada melhor que deixar às pessoas a liberdade de compartilhar seu trabalho.

Vale ressaltar que todo o conteudo em nosso blog pode ser livremente re-utilizado em outros blogs sob uma liçença Creative Commons:

Creative Commons – Atribuição – NãoComercial – CompartilhaIgual 3.0 Não Adaptada.

Etiquetado , , ,

Trabalha com música?

Se trabalha com música este post é para você!

Iremos listar aqui diversos sites que disponibilizem sons para download, sob licenças abertas, ou gratuitos..
Poderão encontrar diversas músicas, samples, soundfonts e efeitos sonoros para, por exemplo, usar como uma trilha sonora para o seu filme sem precisar pagar direitos autorais.

ATENÇÃO
.Fique atento às licenças referentes à cada conteúdo, pois nem todas permitem uso comercial da obra.

. Note que muitas licenças determinam que a obra derivada esteja disponível sob a mesma licença ou outra compatível.

. Lembre-se de dar o crédito das obras que você utilizar. Isso é uma questão de respeito e também está previsto na grande maioria das licenças.

Os links encontrados na página da Creative Commons:

Creative Commons

Creative Commons (Photo credit: jorgeandresem)

Etiquetado , , , , , , , , , ,
%d blogueiros gostam disto: