Arquivo da tag: Musicos

Ganhe dinheiro com sua música

Este slideshow necessita de JavaScript.

Aumente sua renda como músico:

Na situação atual de crise do mercado de discos, o crowdfunding surge como uma nova maneira para que músicos ganhem dinheiro com suas músicas em 2014! No entanto, para que suas campanhas de crowdfunding funcionem, os músicos precisam ter uma “multidão de fãs” que estejam preparados para ajudar a financiar os projetos de seus ídolos. Criar um público forte que acompanhe seu trabalho nas redes sociais, na mídia, etc, e claro, que compareça aos seus shows e divulgue seu som para outras pessoas que poderão se interessar pelo seu trabalho.

– Construa e mantenha uma verdadeira relação com seus fãs e amigos nas redes sociais.

95 % dos artistas fazem uma utilização errônea de suas listas de e-mail e de suas redes sociais: evite contactar seus fãs apenas quando tem algo para vender para eles (shows, releases, CD novo, etc.) É preciso convencer às pessoas a comprar algo, no entanto, às pessoas tem uma tendência natural de consumir e sempre preferem comprar de alguém em quem confiam e de quem gostam. Envie conteúdos como fotos, vídeos, etc para divulgar seu trabalho mas faça o espontaneamente e sem pedir sempre algo em troca.

Novos estudos indicam que às pessoas só investem dinheiro quando sentem que o artista “fez por merecer” por meio de um verdadeiro trabalho nas mídias sociais. Isso é particularmente válido para o universo da música.

Como artista, você representa uma marca: sua própria marca! Para ganhar dinheiro com sua marca você precisa ter uma linha de produtos claramente definida. Um projeto de financiamento coletivo (crowdfunding) é uma oportunidade única para lançar uma “linha de produtos” porque obriga o artista a criar diversos níveis nos quais as pessoas poderão participar e contribuir. Pois é: como Zarpante já vem dizendo faz um tempo, o crowdfunding vai muito além do que uma mera captação de fundos! Utilize-o por exemplo para lhe ajudar a criar uma linha de produtos que se adapte ao seu público!

1. O seu primeiro passo deve ser no sentido de identificar sua base de fãs  e seguidores:

Você tem uma base de fãs para a qual pode vender sua ideia?

Isso significa:

A) Uma mailing list

B) Um Blog e claro, leitores. Lembre-se de sincronizar seu blog com seu Tumblr, seu Twitter, Facebook, Stumbleupon, etc). Caso não tiver blog, e prefira delegar essa atividade a uma outra pessoa, saiba que existem diversos blogs que podem fazer isso por você contanto que você envie material de vez em quando. Este blog por exemplo tem sempre artigos sobre os artistas que Zarpante representa e também sobre artistas que atraem nossa atenção.

C) Tenha uma comunidade Facebook ativa e seguidores no Twitter

2. Canalize!

Sempre pense em maneiras para aumentar sua base de fãs e sua mailing list!

Considere que em média, somente 10% das pessoas em sua mailing list irão abrir os e-mails que você enviar: nesse sentido, tenha como objetivo um mínimo de 10 mil fãs (contabilizando todas suas redes sociais e mailing list).

Pense todo dia em pelo menos uma pessoa para adicionar em sua lista!

Qual é sua linha de produtos?

Você vende apenas shows, CDs e Mp3s?

Você tem produtos derivados?

Um fã clube / promoções mensais?

Tem algum talento especial a oferecer além de sua música?

Deixou claro às pessoas de sua mailing list que você está disponível para eventos privados , festas, casamentos, etc?

Alguma vez você já mencionou que gostaria de tocar um show na casa deles?

3. Já perguntou aos seus fãs  o que eles desejam comprar?

Faça enquetes e pergunte isso à sua base de fãs! Quem sabe eles desejem adesivos, ou camisetas relacionados ao seu projeto mas você nunca saberá disso se não perguntar.

Para Newsletters ou pesquisas online: Survey Monkey & Pop Survey

Para o Twitter: Twtpoll

No Facebook: Poll Daddy

 

4. Comunicação!

Você tem newsletters mensais atrativas, e consistentes?

Se não for o caso, passe a utilizar um serviço que lhe ajude a criar uma newsletter em que possa ter as estatísticas de quem abre suas newsletters e o que “clicam” ou não nela.

A chave é comunicar de maneira constante e regular, e estudar o que dá certo ou não.

5. Criatividade!

Seja criativo em relação ao conteúdo que compartilha em suas redes sociais!

Crie produtos, eventos, fã clubes, eventos exclusivos, e tudo que possa satisfazer seus fãs.

Você tem algum outro talento que seu público deveria descobrir?

Escreve?

Pinta?

Tira fotos?

6. Após desenvolver sua rede de maneira intensiva (mas sem comprar falsos seguidores ou “curtidas”), lance sua campanha de Crowdfunding!

Tenha um plano claramente definido antes de se lançar em uma campanha de crowdfunding: o que deseja fazer? Gravar um EP ou LP para lançar em CD ou vinil ou digital? Quer lançar um vídeo ou quer fazer um show? Precisa de fundos para comprar um novo baixo? Quer fundos para poder viajar e fazer aquela tournée lá fora? O crowdfunding pode ser aplicado a diversas partes de sua carreira mas para isso você precisa ter uma ideia bem estruturada em mente.

Estude o Crowdfunding  e entenda como alavancar sua campanha!

 

Etiquetado , , , , , ,

Zarpante e a Conexão Lusófona

Vejam o vídeo gentilmente enviado pelos parceiros da Conexão Lusófona, para apresentar o “Eu falo Zarpante”!

Agradecemos aos parceiros da Conexão Lusófona e aproveitamos para pedir a todos nossos leitores, amigos, seguidores, clientes, etc, que nos enviem os seus, para que possamos continuar essa  série do “Eu Falo Zarpante”!

Basta enviar um curto vídeo para o nosso email zarpante@gmail.com, e explicar rapidamente de onde vem e porque acompanha nossas atividades.

Etiquetado , , , , , , , ,

6 artistas que transformaram a indústria musical

A revista americana “Inc.” publicou recentemente um artigo sobre bandas emblemáticas que revolucionaram a indústria musical.

São artistas que abriram as portas e mostraram o caminho das pedras para outros grupos. Suas decisões e suas ações contribuíram para melhorar a situação de todos os artistas que vieram depois. São artistas que souberam defender seus direitos e que não tinham vergonha de lutar por uma remuneração mais justa!

– The Rolling Stones

  • Foram os primeiros a pagar por suas gravações e por consequência, os primeiros a serem proprietários de seus registros guardando assim todos seus direitos autorais.

  • rolling-stonesForam também os primeiros a ter um logo como uma identificação de marca: a língua e os lábios

– KISS

logo-kissos

  • KISS foi o primeiro grupo a perceber o potencial do merchandising:  eles tem a licença para utilização do nome deles em espalhada. São mais de de 3000 referencias de produtos. Pode parecer uma evidência hoje mas eles foram os primeiros a entender e trabalhar o potencial do merchandising.

– Led Zeppelin

  • ledzeppelinForam os primeiros a inverter a balança entre produtores e grupos: foram assim os primeiros a negociar os shows a 90% – 10% com 90% para eles próprios. Contribuíram assim a inverter as regras entre artistas e produtores.

– The Grateful Dead

emek-grateful

Entre os anos 70 e 90, a maioria dos grupos se satisfazia em vender seus discos enquanto os Grateful já entendiam a “música 3.0”   ”Your music is your marketing.” – disia JP Barlow (que é também um dos fundadores do EFF, (Electronic Frontier Fondation).

Eles incitavam às pessoas a gravar seus shows para que possam em seguida compartilhá-los com seus amigos para que assim o número de fãs do grupo aumentasse.

Isso nada mais é o que tentamos fazer com a internet hoje em dia!

Em outros termos, eles entendiam de redes sociais antes mesmo que surjam Facebook e companhia. Nesse sentido, eles vendiam seus tickets para shows online,criaram um fã club, e promoveram a venda de seus produtos por meio do Fã club. Permitiram também aos fãs que utilizassem o Fã club para que vendessem os produtos criados pelos próprios fãs e diretamente inspirados pelo grupo.

– Journey

  • Foi o primeiro grupo a ter uma turné patrocinada. (pela Budweiser).

Foi também o primeiro grupo a ter sua própria estrutura pra turnés, com seus próprios sound-system, transporte, etc.

– Moby

Foi o primeiro artista a perceber o enorme potencial da publicidade sincronizada: quando seu álbum “Play “foi lançado, foram poucas vendas e muitas poucas rádios a divulgá-lo. Ele então licenciou (sincronizou) CADA música de seu álbum para publicidades, séries, filmes et logo, seu álbum explodiu em termos de vendas…

Recentemente, Moby inovou mais uma vez ao liberar mais de centenas de músicas suas para a livre utilização em curtas, projetos de estudo, etc…

Esses artistas provaram que há sempre uma maneira de ir além das regras de comercialização e que os artistas podem dar as cartas.

A revista diz ainda que quem mais revolucionou o mercado da música recentemente não foi um músico mas sim o  Steve Jobs, criador da Macintosh, que percebeu que as pessoas comprariam música online caso tivessem interfaces mais simpáticas, fáceis de utilizar e atraentes. Nesse sentido criou o IPod, o Itunes, etc…

O que vocês acham?

Etiquetado , , , , , , , ,

10 páginas Facebook que merecem suas curtidas!

Hoje em dia dar uma curtida em uma página no Facebook representa uma enorme ajuda para quem quer divulgar o trabalho, e não custa nada para quem dá a curtida! Por isso veja abaixo 10 páginas que estão sempre atrás de fãs e de curtidas e que merecem as suas ! Contamos com sua força: curta e compartilhe!

Aproveitamos para agradecer todo mundo que já curte alguma dessas páginas, e convidamos o pessoal a nos enviar os links de suas páginas ou de páginas interessantes encontradas no Facebook! Quem sabe sua(s) página(s) esteja(m) em nosso próximo artigo!

Etiquetado , , , , , , , , , , , , ,

O Spotify poderia ajudar novos artistas a ganhar dinheiro?

Uma análise sobre o futuro do Spotify e do streaming de maneira geral.

Que tal refletirmos dois minutos no  debate atual sobre « artistas contra o Spotify ». O debate está sendo abordado como se tudo fosse preto ou branco: « música vs tecnologia », « tradição vs inovação », « artistas vs multinacionais ».

Pelo menos 80% do debate está baseado em rumores, dados voluntariamente mal interpretados, antigos rancores, e a lembrança infelizmente real, de que vários artistas foram enganados pelos novos métodos de distribuição.

Na nossa opinião, um dos problemas é que o Spotify utilizou toda sua energia para conquistar a indústria musical, assinando contratos de licença com todos os selos cujos portfólios eles desejavam ter. Desse ponto de vista aliás, o Spotify foi muito bem sucedido.

O argumento é relativamente simples: O streaming canibaliza mais a pirataria que as vendas, e ainda que o retorno financeiro de uma audição online seja bem inferior ao da venda de um CD ou MP3, o fato de ser remunerado por cada escuta, acaba sendo mais benéfico a longo prazo. Esses dois argumentos são verídicos e eis a prova:

Na Noruega, a venda de música aumentou de 17% no primeiro semestre de 2013, em relação a 2012. Um aumento surpreendente no contexto atual da indústria musical. O streaming representa 66% do total das vendas na Noruega, e a pirataria diminuiu de 81,9% desde 2008.

Enquanto isso, na Suécia, a venda de música teve um aumento de 13,8% em 2012, e o streaming representa atualmente 57,5% das vendas de música no país. Em ambos os países, o streaming relançou a indústria musical depois de mais de 10 anos de declínio.

Essa é a chave do debate, e também a razão pela qual o argumento do Spotify, que garante que, desde que existem, depositaram 500 milhões de dólares nas contas dos criativos que possuem os direitos autorais de cada música, e contam depositar o mesmo valor em 2013, entra por uma orelha e sai pela outra.

O debate não trata de definir o valor trazido por Spotify à indústria musical, mas do valor trazido por Spotify aos novos artistas.

O valor que tem para artistas já estabelecidos, já foi provado. Quanto mais conhecido você for, maior o número de pessoas que irá escutar sua música no Spotify e por consequência maior será o número de audições por fãs.

spotify revenus

Isso significa que para os Rolling Stones (ou Metallica, Jay-Z ou Pink Floyd), colocar suas músicas em plataformas de streaming é uma escolha lógica, apesar de que vimos recentemente que o Radiohead decidiu sair do Spotify, em solidariedade aos “pequenos” e novos artistas.

Mas este debate não diz respeito a esse tipo de artistas. Trata-se de falar dos novos artistas emergentes.

Nos parece que o Spotify terá que responder a uma série de perguntas: como podemos ajudar novos artistas a ganhar dinheiro? Como os ajudamos hoje em dia? Como poderíamos melhorar nossos serviços para ajudá-los ainda mais no futuro?

Existem diversos meios para que um músico ganhe dinheiro em 2013: cada vez mais fontes de renda (basta ver essa lista com  42 maneiras de ganhar dinheiro como músico independente) ; cada vez mais demanda nas plataformas digitais e nas redes sociais. Mas não se engane, enquanto tiver cuidando dessas atividades, você não estará fazendo música.

É muito trabalho. E não somente para os músicos. Com certeza, dá ainda mais trabalho se um jornalista freelancer em 2013: mais fontes de renda, mais demanda nas plataformas digitais, redes sociais, etc… Isso é muito estimulante, porque significa que as barreiras estão sendo derrubadas em distintas áreas, mas representa também muito trabalho.

Por isso, não devemos  considerar quem vem criticando o Spotify como pessoas que recusam o progresso, que não desejam se adaptar a nova era digital, e que fazem somente o mínimo para “sobreviver”. Muitos artistas estão lutando para conseguir, entrando em interação com seus fãs por Twitter e Facebook, disponibilizando sons  no Bandcamp e outros distribuidores digitais, criando campanhas de crowdfunding, utilizando YouTube, criando seus próprios sites web…

Alguns artistas são a favor do Spotify e do streaming. Outros são veementemente contra. A maioria está entre  as duas posições, tentando, como nós, entender o impacto a longo prazo das mudanças da propriedade ao acesso, sobre a maneira como as pessoas encontram, escutam, compartilham e compram música.

Voltemos a questão central: Como o streaming pode ajudar novos artistas a ganhar dinheiro? Pink Floyd e Jay-Z vão sobreviver. Os Eagles não terão nenhuma  insônia ao olhar suas contas bancarias. Todos vão muito bem.

Mas como garantir que os próximos  Pink Floyd e Jay-Z não abandonem a música antes de terem gravado seus « The Piper at the Gates of Dawn » ou « Reasonable Doubt » ? Como os serviços de streaming podem não somente encontrar uma audiência, e paralelamente encontrar fontes de renda acessíveis?

Se você fosse um artista com algo entre  500-1000 fãs, o que pensaria caso o Spotify desse visibilidade ao seu trabalho e o expusesse a    10 000 ou 100 000 pessoas cujos gostos musicais indicam que poderiam gostar de sua música?

Mais visibilidade, oportunidades de fontes de renda, e, além do mais, os serviços de streaming poderiam compartilhar (anonimamente) com os artistas, os dados recolhidos sobre os utilizadores, para ajudar os músicos a organizar tournées por exemplo.

Mas na nossa opinião, a melhor maneira que as plataformas de streaming tem para ajudar os novos artistas, é de ir além e conectar os exploradores de música entre si, e fazer com que gastem dinheiro pelo artista. Isso já acontece em alguns casos: o Songkick por exemplo, nos avisa se um artista que já escutamos está passando por nossa região.

Se cada pessoa que escutou sua música no Spotify pudesse ver as suas próximas datas de shows, ou se você vendesse um pacote exclusivo no Bandcamp, um mix no Beatport, uma camisa em edição limitada, etc…  Se um serviço de streaming direcionasse cada pessoa que escutasse sua música para uma campanha no site Zarpante, quem financiaria seu novo disco?

E se o Spotify (Deezer, Rdio, e companhia) melhorassem seus serviços e funcionassem como um funil que direcionasse as pessoas a todos seus sites, links e fontes de renda, e continuasse lhe pagando por cada escuta?

Virginie Berger Don't believe the Hype

Isso poderá acontecer! O fabricante de fones de ouvido, audio Beats, vai lançar seu serviço « Daisy » este ano, com a  intenção de direcionar os fãs a suas outras fontes de renda.

Provavelmente outros surgirão como o Daisy. Todos os serviços de streaming podem e deveriam ter a mesma visão.

Don't believe the Hype Virginie Berger

Estamos em uma era em que os artistas, mais do que nunca, precisam se posicionar e refletir sobre como o streaming poderia ajudá-los de uma maneira mais eficaz. Eles precisam trabalhar diretamente com os serviços digitais em vez de deixar os selos e editores a cargo disso.

Veja também:

– Música e internet (parte 3)

Etiquetado , , , , , , ,

Música e internet (parte 4)

Mais alguns links musicais: (clique nas imagens para acessar os sites respectivos)

Por ordem alfabética:

Screen shot 2013-08-05 at 3.03.01 PMSite da gravadora Barsuk.

Screen shot 2013-08-05 at 3.04.23 PMMúsicas para baixar ou para comprar…

Screen shot 2013-08-05 at 4.00.00 PMProcurando cifras de músicas?

Screen shot 2013-08-05 at 3.11.28 PMDe Monterrey para o mundo em espanhol…

Screen shot 2013-08-05 at 3.14.02 PMMúsica disco, house, sintetizadores e muito mais…

Screen shot 2013-08-05 at 3.08.25 PMMúsica folk.

Screen shot 2013-08-05 at 3.06.47 PMTudo em MP3.

Screen shot 2013-08-05 at 3.21.43 PMPara quem fala espanhol e curte música indie.Screen shot 2013-08-05 at 3.00.35 PMMP3 para quem ama música…

Screen shot 2013-08-05 at 3.12.20 PMRevista musical em espanhol.

Screen shot 2013-08-05 at 3.48.57 PMUm joguinho musical…

Screen shot 2013-08-05 at 3.49.22 PMWebzine musical francês.Screen shot 2013-08-05 at 3.09.16 PMGravadora.

Screen shot 2013-08-05 at 3.25.32 PMMais uma revista musical em espanhol.

Screen shot 2013-08-05 at 2.59.46 PMMúsica e política…

Screen shot 2013-08-05 at 3.05.08 PMMúsica australiana.

Screen shot 2013-08-05 at 3.55.43 PMMúsica por estilos…

Screen shot 2013-08-05 at 3.57.48 PMToque piano com seus amigos…

Screen shot 2013-08-05 at 3.06.34 PMUma rádio eclética de música eletronica.

      Screen shot 2013-08-05 at 3.05.43 PMMúsica para todos os gostos.

Screen shot 2013-08-05 at 3.12.02 PMShows ao vivo no seu laptop!

Screen shot 2013-08-05 at 3.07.19 PMSó música rara e instrumentos bizarros…

Screen shot 2013-08-08 at 1.23.45 PMBasta apertar nos botões e brincar!

Screen shot 2013-08-08 at 1.26.16 PMCírculos musicais.

Etiquetado , , , , , ,

Música e internet (parte 3)

Mais links de sites interessantes na terceira parte da série Música e internet. (Clique nos logos para acessar os sites respectivos)

Por ordem alfabética:

Screen shot 2013-08-04 at 8.33.13 PMRádio francesa com programação variada ao vivo ou gravada…

Screen shot 2013-08-04 at 7.30.31 PMDa Holanda para o  mundo!

Screen shot 2013-08-04 at 8.36.50 PMUm site para quem tem música para compartilhar, ou para quem busca descobrir novidades…

Screen shot 2013-08-04 at 8.34.15 PMEscute e baixe legalmente músicas com licenças Creative Common.

Screen shot 2013-08-04 at 8.03.00 PMUm site para quem deseja descobrir “covers” e reprises variadas…

Screen shot 2013-08-04 at 8.05.35 PMMe diga o que você está escutando e eu te direi o que beber…

Screen shot 2013-08-04 at 8.26.02 PMBlog musical.Screen shot 2013-08-04 at 8.31.32 PMPara crianças.Screen shot 2013-08-04 at 8.38.03 PMSelo musical.

Screen shot 2013-08-04 at 7.30.04 PMBasta escutar músicas no Last.FM para que o site passe a aconselhar músicas com estilos parecidos que poderiam lhe agradar…

Screen shot 2013-08-04 at 8.24.15 PMDicas para compor sua música.

Screen shot 2013-08-04 at 8.39.40 PMUm site francês com muitos artigos sobre música e outras coisas.

Screen shot 2013-08-04 at 8.27.53 PMRevista musical digital.

Screen shot 2013-08-04 at 7.31.31 PMCante uma música durante dez segundos e esse site descobre o nome do autor e da música.

Screen shot 2013-08-04 at 8.28.27 PMLições musicais.

Screen shot 2013-08-04 at 8.26.35 PMAcordes.

Screen shot 2013-08-04 at 7.29.37 PMDescubra e compartilhe músicas.

   Screen shot 2013-08-04 at 8.40.17 PMCompartilhe suas músicas.

Screen shot 2013-08-04 at 8.05.13 PMCompartilhe suas músicas.

Screen shot 2013-08-04 at 7.28.22 PMBanco sonoro com milhares de sons e efeitos gratuitos.

Screen shot 2013-08-04 at 8.24.49 PMTudo ao vivo.

Screen shot 2013-08-04 at 7.29.07 PMDrogas e música.

Screen shot 2013-08-04 at 8.04.37 PMBlog musical.

Screen shot 2013-08-04 at 8.42.15 PMDe Philadelphia para o mundo!

Screen shot 2013-08-04 at 7.50.09 PMMais um mapa musical.

Veja também:

– Música e internet (parte 2)

Etiquetado , , ,

Música e internet (parte 2)

Mais alguns sites interessantes para quem gosta de música ou trabalha com música!

Por ordem alfabética:

(clique nos logos respectivos para acessar os sites)

Screen shot 2013-08-01 at 6.23.53 PMRádios para escutar.

Screen shot 2013-08-02 at 12.13.14 PMSom alienígenas gratuitos para o seu celular ou para suas músicas e composições.

Screen shot 2013-08-01 at 5.52.30 AMUm site para seu podcast, ou para descobrir novas rádios e outros podcasts.

Screen shot 2013-08-01 at 6.26.12 PMBateria digital online. Brinque o quanto quiser… ( muito bom para despertar interesse por música nas crianças)

Screen shot 2013-08-01 at 5.52.21 AMSuba suas músicas no Grooveshark e descubra outros artistas.

 Screen shot 2013-08-01 at 6.23.06 PM      Revista musical online.

Screen shot 2013-08-02 at 11.53.55 AMSite canadense com feed de músicas diversas.

Screen shot 2013-08-01 at 6.22.33 PMUm site com todo tipo de música Indie.

Screen shot 2013-08-01 at 6.23.33 PMSite francês para compartilhar e descobrir novas músicas.

Screen shot 2013-08-02 at 12.16.09 PMComponha toques para seu celular gracas a esta bizarra invenção…

Screen shot 2013-08-01 at 6.31.17 PMUm site interessante para criar e compartilhar áudio playlists extraídas de vídeos Youtube.

Screen shot 2013-08-01 at 5.52.51 AMEscreva o nome de uma artista e deixe o mapa da música fazer o resto…

Screen shot 2013-08-01 at 5.53.20 AMPorque é que a música é importante para você?

Screen shot 2013-08-01 at 5.53.32 AMVídeos de música…

Screen shot 2013-08-01 at 5.53.03 AMUm site dinamarquês para quem precisa encontrar uma música para um filme ou para um vídeo, trabalhos, etc…

Screen shot 2013-08-02 at 12.23.49 PMRemixes musicais…

Screen shot 2013-08-02 at 12.01.48 PMBrinque com esse piano atípico.

Screen shot 2013-08-02 at 12.11.21 PMDivirta-se com um dos mais famosos personagens da saga Star Wars.

Screen shot 2013-08-01 at 6.30.37 PMAcesse e brinque a vontade (Para adultos e crianças).

Screen shot 2013-08-01 at 5.53.52 AMOuça rádios e música variadas…

Screen shot 2013-08-01 at 6.27.15 PMMilhões de músicas, basta procurar…

Screen shot 2013-08-01 at 5.53.10 AMArtigos sobre música e outras coisas…

Screen shot 2013-08-01 at 6.26.49 PMEscolha uma música qualquer e obtenha um remix dubstep graças a este site.

Veja também:

– Música e internet (parte 1)

Em breve a terceira parte…

Etiquetado , , , , , , ,

Um jingle para Zarpante

Este post é para agradecer o parceiro Vicente Viola, músico carioca, que gentilmente fez um jingle para Zarpante!

Aproveitamos para convidar todos os músicos que trabalham connosco ou que simplesmente tem interesse ou simpatia por Zarpante, a preparar uma música ou um jingle sobre lusofonia e ou Zarpante. Basta enviar seu jingle ou mp3 para o zarpante@gmail.com. Participem e façam parte da colectânea Zarpante.

135539

Etiquetado , , , ,

22 razões para baixar músicas pela internet

Um site musical francês  quis saber do seu público, as razões que os levava a baixar músicas ilegalmente.

É importante tentarmos entender essas razões para que tanto o público, quanto os artistas encontrem um equilíbrio sustentável.

Há mais de 10 anos, uma quantidade importante de obras tem sido baixadas ilegalmente pela internet, e destituindo um direito dos artistas: de serem remunerados pelos seus trabalhos. Paralelamente, da maneira como estava a industria musical, quem acabava lucrando mais com a venda de cds eram os produtores e as grandes gravadoras, mas o músico, que deu origem a obra, sempre foi um dos menos remunerados pela sua própria música.

Se algumas das razões que citadas abaixo são ilárias, outras merecem uma séria reflexão. Confira a seguir algumas das respostas que o site “Donne ta musique” recebeu.

Copyright ou Copyleft?

Copyright ou Copyleft?

Confira as 22 razões:

01– Para descobrir novidades. Já me fizeram pagar um cd por somente três boas músicas e agora tenho a opção de  escutar o CD antes de eventualmente comprá-lo.

02– Em relação a primeira razão, mesmo quando se pode ouvir 30 segundos de uma obra, isso não representa  de maneira alguma a totalidade da música.

03– Para economizar meu dinheiro: os preços são muito altos.

04– A qualidade sonora dos arquivos presentes na internet, não é suficiente para que eu gaste meu dinheiro neles.

05– Sou impulsivo e é muito mais fácil para mim encontrar um álbum por torrent que em outros sites.

06– Espero por um álbum durante meses (para não dizer anos), e encontro ele na internet duas semanas antes da data oficial de lançamento. O que eu deveria fazer na sua opinião?

07– Honestamente: nem tudo que procuro está no  iTunes ou no Bandcamp.

08– O artista não faz dinheiro. Eu roubo as gravadoras e não estou nem aí.

09– Prestigio vários espectáculos por ano. Muitas vezes graças ao dinheiro economizado baixando álbuns que descubro pela internet.

10– Antes da internet, eu fazia várias mixtapes em casa com a TDK 90 minutos e isso era tolerado. Baixar músicas pela net é simplesmente uma evolução.

11– A internet é a nova Rádio.

12– Porque eu deveria pagar por álbuns do Michael Jackson? Ele está morto e não precisa do meu dinheiro.

13– Porque eu deveria pagar por álbuns do Jay-Z?  Ele é milionário e não precisa do meu dinheiro.

14– A 20 anos paguei por um vinil, em seguida vocês me fizeram pagar por um CD e agora querem que eu pague pelo mesmo álbum em versão numérica? Acho que já incentivei suficientemente o músico.

15– Não guardo a música por muito tempo. Utilizo como utilizaria uma biblioteca pública.

16– O provedor de acesso à internet deveria pagar uma parte do valor. Assim o preço dos álbuns ficaria mais em conta.

17– Nunca vão descobrir que baixei músicas.

18–  Sou um influenciador. Me “dar”um disco provoca a venda de muitos outros. Vejam isso como uma estratégia de divulgação.

19– Assim como nos jogos e nos filmes, o produto vendido é sempre mais complexo e difícil de utilizar.

20– Não tenho nenhuma relação afectiva ou emocional com o objecto ou com sua possessão.

21–  A música não é uma prioridade na minha vida

22– Todo mundo faz isso.

E a lista poderia continuar sem fim…

Os amigos piratas se reconheceram?

Os amigos músicos tem soluções para propor?

Veja também:

O Moby fez! Se ele pode, porque outros músicos não poderiam?

Etiquetado , , , , , ,
%d blogueiros gostam disto: