Arquivo da tag: grafite

O avião da seleção

Deram asas à imaginação dos Gêmeos!

Como representantes de uma das novas caras da cultura brasileira, os irmãos  Otávio e Gustavo Pandolfo, mais conhecidos sob o nome artístico ” Os Gêmeos”, são figuras cativas no Blog Zarpante. Eles já pintaram murais pelo mundo todo além de expor em diversas galerias ajudando a trazer a arte urbana para dentro do “circuito”.

Desta vez, os irmãos travaram parceria com a companhia aérea Gol e foram incumbidos de pintar o avião que servirá de transporte para a  seleção brasileira de Futebol durante a Copa do Mundo de 2014!

Foi a primeira vez que Os Gêmeos utilizaram um avião como suporte para um grafite, foram necessárias cerca de 1,2 mil latas de spray, e o resultado vocês conferem logo abaixo:

 

 

Vejam também:

– O dia em que os portugueses carimbaram sua vinda ao Brasil

– #Vaitercopa! Ainda é possível fazer um evento que seja positivo em seus diversos aspectos (inclusive no aspecto social e  econômico)

 

 

Etiquetado , , , , , , , , ,

Grafiteiros lusófonos 02

Conheçam mais alguns grafiteiros lusófonos!

Desta vez alguns portugueses:

Etiquetado , , , , ,

O valor da imagem

O que leva um artista que tem a possibilidade de vender suas obras por mais de 100 mil dólares a vendê-las por apenas 60 dólares? Honestidade? Marketing?

Banksy é um artista de rua inglês, cujas obras estão conquistando o mundo.No entanto, recentemente, o artista vendeu no Centra Park em Nova York umas 20 telas autênticas por módicos 60 dólares.

Banksy montou o stand mas ficou invisível: um senhor desconhecido fez o papel de vendedor. A verdadeira questão é a seguinte: porque uma obra de Banksy vale mais de cem mil dólares em alguns leilões e passa a valer apenas 60 dólares quando vendida (autenticada) na rua? A obra ganha valor apenas por estar em um leilão e perde valor apenas por estar na rua? Não é um pouco absurdo?

Quanto mais acessível for uma obra, menor o seu valor?

Lembramos também que, por mais conhecidas que sejam as obras de Banksy, ele ainda não tem um nome tão célebre quanto o de Picasso ou Van Gogh, e por isso mesmo perguntamos: se fosse o caso, ele teria podido vender as obras por um valor superior no próprio Central Park? O verdadeiro valor de uma obra está na obra em si ou no nome do autor?

No total, foram 420 dólares de obras compradas por umas poucas pessoas, que têm agora a sorte de ter Banksys originais comprado por 20 dólares, e que poderão ser revendidos por uma soma pelo menos 100 vezes superior.

Ao fazer isso, Banksy nos mostra que muitas vezes existem oportunidades fantásticas na nossa frente e que não percebemos. Nos mostra também que o preço que damos à arte é totalmente relativo e que é necessário prestar atenção e valorizar a arte de todos, estejam estes expondo na rua ou em galerias.

 

 

Etiquetado , , , , , , , ,

Grafiteiros lusófonos 01

Conheçam abaixo alguns grafiteiros lusófonos!

1- VHILS ou Alexandre Farto (Portugal)

VHILS é um artista  Português conhecido pelos seus “Rostos” esculpidos em paredes. Ele inova constantemente utilizando novas técnicas e maneiras de abordar seu trabalho. Boa parte de seu trabalho é criado ao vivo no local e focaliza-se na natureza transitória, suas histórias e as de seus moradores. Representa também uma nova geração de grafiteiros que não somente grafita paredes como também pinta telas e expõem em galerias.

” Nasceu em Lisboa em 1987. Terminou os seus estudos em 2008 na University of the Arts em Londres.  Iniciou-se em pintura em 1998 com apenas treze anos. Pintava muros de ruas e comboios da margem sul do rio Tejo.  Este artista de Lisboa, a partir das suas raízes do graffiti/street art tem vindo a explorar novos caminhos dentro da ilustração, animação e design gráfico, misturando o estilo vectorial com o desenho à mão livre, aliado a formas contrastadas e sujas, que nos remetem para momentos épicos. A destacar também a abertura recente da sua exibição de interior/ar livre, “building 3 steps“, com Miguel Maurício. Em 2011, desenvolveu uma técnica usando explosivos, grafite, restos de cartazes e até retratos feitos com metal enferrujado para criar retratos e frases. Existem trabalhos seus espalhados por vários locais do mundo como as cidades portuguesas de Lisboa, Porto e Aveiro, além de capitais como Berlin, Londres, Moscovo, Bogotá, e cidades como Medellín, Cali (na Colômbia), Nova York, Los Angeles, Grottaglie (sul da Itália).” Fonte: Wikipédia

2- Alexandre Orion (Brasil)

Para quem diz que grafite é somente sujeira, e que os grafiteiros não fazem nada além de adicionar poluição visual ao nosso cotidiano, chegou a hora de conhecer o grafite invertido (Reverse graffiti). A ideia é simples: para criar os desenhos, o grafiteiro paulista, Orion, limpa as paredes em vez de desenhar sobre elas! Basta encontrar um muro bem sujo e em seguida começar a limpar para dar as formas desejadas!

Vejam também:

– O grafite brasileiro está literalmente invadindo o mundo!

– GRAFITEIROS LUSÓFONOS 02

Etiquetado , , , , , , , , , , , ,

O grafite brasileiro está literalmente invadindo o mundo!

Diversos grafiteiros brasileiros vem espalhando seus trabalhos pelo mundo. Hoje apresentaremos dois deles (ou três) aos nossos leitores:

– Francisco Rodrigues da Silva, conhecido como “Nunca”, usa a rua como tela há quase 20 anos, e  pintou recentemente, paredes da famosa Tate Modern em Londres. Vejam abaixo algumas de suas obras.

– Quanto aos gêmeos Otávio e Gustavo Pandolfo, formados em desenho de comunicação pela Escola Técnica Estadual Carlos da Campos, começaram a pintar grafites em 1987 e gradualmente tornaram-se uma das influências mais importantes na cena local, ajudando a definir um estilo brasileiro de grafite.

Os trabalhos da dupla estão presentes em diferentes cidades dos Estados Unidos, Portugal, Inglaterra, Alemanha, Grécia, Cuba, entre outros países. Também executaram a pintura da fachada da Tate Modern, de Londres, para a exposição Street Art, juntamente com o grafiteiro brasileiro Nunca, e outros grafiteiros. Algumas obras abaixo.

– Para terminar um projeto em que Os Gêmeos e Nunca participaram juntos:

Fontes: O Globo, Youtube, Kelp,  The Mongrel, Grafite pra ontem, Metro,  http://www.urbanartcore.eu/tag/nunca/, http://theonepointeight.wordpress.com, http://antropologizzzando.blogspot.fr

Vejam também:

– Grafiteiros lusófonos 01

Etiquetado , , , , , , , , , , , , , ,

Das ruas para as almas! Ou seria o contrário?

Revitalizando as cidades artisticamente graças a um projeto em breve no nosso site!

O Artista (Slap SkTr) pinta muros desde que tem 12 anos de idade, e agora o objetivo é realizar intervenções artísticas em edifícios devolutos… Acompanhado por uma equipe internacional de grafiteiros, o artista português estará pelas ruas do país tornado-as cada vez mais estéticas e mostrando ao mundo que Portugal tem grafites de qualidade!

Por hora fiquem com alguns vídeos do craque e seus comparsas!

Street Canvas from Pst Visuals on Vimeo.

 

Etiquetado , , , , , ,
%d blogueiros gostam disto: