Arquivo da tag: financeira

Passos essenciais para que seu projeto de crowdfunding alcance a meta almejada

Porque algumas campanhas de crowdfunding ficam estagnadas e não atingem a meta financeira dentro do prazo definido?

Conquiste a multidão! Afinal, você faz parte dela!

Conquiste a multidão!
Afinal, você faz parte dela!

Se você colocou seu projeto em um site de crowdfunding e não conseguiu captar os fundos necessários, descubra agora os motivos pelos quais a massa não tirou as mãos dos bolsos…

Caso você esteja querendo lançar uma campanha para captar fundos para seu projeto, no site Zarpante, aprenda com os erros dos outros, e não os repita durante sua própria campanha.

Captar fundos consome tempo e energia, particularmente quando não se procuram milhões para levar adiante seu projeto, e que os bancos não se sentem atraídos pelo pequeno valor que exige seu projeto. Muitas vezes os bancos recusam um empréstimo, investidores podem até aparecer e injetar dinheiro no seu projeto , mas podem exigir um retorno muito exagerado em relação ao investimento que fizeram. Em outras palavras, ao receber fundos de grandes investidores, você pode perder a sua autonomia e o projeto pode deixar pouco a pouco de ter sua cara.

É neste ponto específico que o crowdfunding surge como uma alternativa para criativos. Essa forma relativamente nova de captar fundos,  utiliza redes e grupos sociais dedicados a fãs e apreciadores (potenciais contribuidores), empresas e entidades interessadas, e claro, seus amigos e conhecidos. Nunca foi tão fácil lançar uma campanha de crowdfunding, mas lançar campanhas bem sucedidas é bem mais complexo.

Veja abaixo 2 razões que levam projetos de crowdfunding a falhar.

1. A apresentação de seu projeto é confusa e pouco atrativa.

Por mais informais que possam ser às redes sociais, você deve comunicar sempre de maneira clara o que espera de quem acessa a página de seu projeto ou quem vê um vídeo de seu projeto na net etc…
Algumas pessoas por exemplo, preparam vídeos super legais, falando claramente sobre o projeto e seduzem o público naturalmente, mas esquecem de dizer que contam com às contribuições de todos e que para contribuir é necessário acessar o seu projeto na plataforma de crowdfunding e que o link para isso é o seguinte… Isso vale para toda divulgação do projeto seja em posts, vídeos, fotos, textos, press releases, etc…

O projeto Ceci N’EST PAS DE L’EAU, fez exatamente o contrário ao colocar um projeto na plataforma Zarpante: eles não somente colocaram em todas as divulgações que fizeram, o link a ser acessado para fazer contribuições, como também fizeram um PDF tutorial para ensinar ao público como proceder passo a passo para contribuir para o projeto deles.

2. Você não trabalhou suficientemente para que o público “trabalhasse” por você:

Muita gente acredita que com crowdfunding é mais fácil conseguir os fundos, do que com métodos tradicionais. Essas pessoas acham que o simples fato de colocar um projeto em uma plataforma de crowdfunding, seja suficiente para atingir a meta financeira do projeto. São pessoas que acham que divulgar para seus fãs, amigos, familiares, na net, é estar fazendo “trabalho braçal”, e que valem mais do que isso! Isso é um tanto quanto arrogante e será péssimo se o público sentir uma certa distancia, frieza ou arrogância.

O público deseja pessoas ativas, que divulguem e falem bem de seus próprios projetos, que sejam simpáticas, estejam disponíveis e transmitam confiança. Aproveite esse momento para fidelizar seus fãs atuais e conquistar novos apreciadores de seu trabalho. Não fique sentado esperando o dinheiro cair do céu, participe de sua campanha ativamente e mostre que é merecedor!

No momento em que o público sentir isso, irá contribuir, mas principalmente irá acreditar em seu projeto. Ao acreditar, o público passará a divulgar e ajudar na busca de pessoas que possam contribuir com o projeto.

Veja também:

– Repensando o crowdfunding

Etiquetado , , , , , ,

Barreras na reta final!

Encontramos um artigo bem interessante no site paulista, Catraca Livre: Trata-se de um artigo sobre a questão do cárcere no Brasil e sobre sua importância para a sociedade! Isso tem tudo a ver com o projeto Barreras que está neste momento atingindo a reta final de captação em nosso site! “Barreras” é o nome do filme que será feito com o material de 4 anos de filmagens em presídios do Rio de Janeiro! Nesse período que passou com os detentos, o músico e cineasta Rafael Kalil, resolveu levar arte e cultura para dentro dos presídios para tentar reinserir os detentos na sociedade dando-lhes acesso a arte e cultura! O projeto, que contou com a participação de vários músicos, como por exemplo, Aleh Ferreira, B-Negão, Penna Firme, Orquestra Voadora e por ai vai, levou educação para dentro dos presídios e regenerou muitos detentos!… Hoje precisamos de sua ajuda para que possamos ajudar ainda mais detentos e mostrar ao povo brasileiro, mas também ao mundo, como é possível transformar as pessoas se oferecendo-lhes as mesmas oportunidades e principalmente,respeitando um direito básico: a cultura deve ser acessível para todos!

Venha ajudar o projeto Barreras a alcançar a meta financeira dentro do prazo que acaba em 18 dias, para que possamos realizar o filme e divulga-lo para toda a sociedade brasileira! Ajude a sua sociedade e contribua com o cinema independente brasileiro!

Para contribuir clique abaixo:

Em Euros, no nosso site: Clique aqui!

Em Reais, no Facebook: Clique aqui!

“A questão prisional no Brasil é pouco debatida para a relevância que implica na sociedade brasileira. A superlotação de presídios e a condições degradantes a que os presidiários são submetidos merece uma atenção. E se esta pauta segue ausente em tantos debates, das artes veio um alerta.

A exposição “Liberdade – Carlos Vergara”, que fica em cartaz no Memorial da Resistência de 21 de julho a 14 de outubro, aborda a situação carcerário brasileira através de 50 obras desenvolvidas a partir de filmagens, coletas de materiais e fotografias realizadas pelo artista gaúcho por conta da implosão do Complexo Penitenciário Frei Caneca, no Rio de Janeiro. Estas imagens serviram de base para Vergara produzir monotipias que serviram de base para as pinturas que serão expostas na mostra.

O artista observou, de seu ateliê, em Santa Teresa, a implosão do presídio, que era o mais antigo do Brasil. Desta observação atenta, devidamente registrada, nasceu esta arte engajada. Na mostra, serão apresentadas instalações com as 32 portas que compunham o presídio (Dops – local onde presos políticos padeceram com a repressão da ditadura) que hoje abriga o Memorial.

Os visitantes que conferirem a exposição receberão um catálogo em formato de jornal, bilingue (português/inglês), com textos de Carlos Vergara e da historiadora Marisa Mello, também responsáveis pela organização e edição do jornal. A publicação traz, também, textos de Frederico Coelho, Moacyr dos Anjos, Paulo Jabur, Beatriz Vergara e Eduardo Masini.

A entrada é Catraca Livre.” Fonte

Felicitamos o pessoal do Catraca Livre por abordar um tema tão importante!

Já escrevemos vários artigos relativos a este assunto e quem estiver interessado pode ler nos links seguintes:

– Matéria do Viva Favela sore o projeto Barreras!

– Lendo nas prisões!

Se você fez pelo fluminense, faça pelo Barreras!

Faça algo positivo de sua indignação!

Por trás das grades!

Navegando por entre as grades!

Não perca a festa dia 29 no Rio de Janeiro! Cada pessoa que vier curtir e dançar ao som Orquestra Voadora, Dj Mam, …. ,estará ajudando o cinema brasileiro e contribuindo para uma sociedade mais justa e menos violenta! Olha o flyer logo abaixo!

Etiquetado , , , , , , , , , , ,

O Programa Zwela África é parceiro Zarpante!

Zarpante tem o prazer de anunciar mais uma bela parceria:

Zwela Africa  é um programa radiofônico iniciado em 2011 numa inciativa dos produtores Custódio Fernando e Renata Leite, com o objetivo de divulgar tudo aquilo que é encoberto pelos inúmeros problemas sócio-econômicos e político-militares que se vivem em vários países africanos.”

Programa Zwela Africa

Programa Zwela Africa

“Os primeiros meses de existência, o programa foi emitido na Rádio Trianon 740 AM em São Paulo, Brasil, tendo adotado desde Dezembro de 2011 a web rádio Line, rádio oficial da Revista Platina Line onde é transmitido em streaming as 17 horas (-3 GTM) de Sábado. Recentemente o programa passou a ser retransmitido igualmente pela rádio do Portal da Comunidade Cabo-verdiana nos estados Unidos da América a convite do produtor Joseph Andrade.
Para manter o programa “no ar” vários profissionais de comunicação social e não só, espalhados pelo mundo, doam todo o seu saber em prol da mesma causa: “falar de África de um jeito diferente”.
Apesar de parecer que já está formada a equipe, o Programa Zwela África continua buscando cada vez mais colaboradores a julgar pela grandeza do continente africano. Envie suas experiências, contribua falando sobre alguma coisa que ache interessante através de uma das maneiras disponíveis neste blogue.”
De agora em diante, quando um criativo que tiver sido indicado pelos parceiros da Zwela  inscrever um projeto em nosso site e alcançar sua meta financeira, metade da comissão, cobrada por Zarpante sobre a captação, ficará com Zwela! É uma maneira que encontramos de incentivar nossos parceiros a indicarem pessoas criativas oriundas de suas próprias redes sociais, amigos, etc… Dessa forma nossos parceiros também se sentem  motivados a participar na divulgação dos projetos que chegam a nós por intermédio deles!
Em troca, o pessoal do programa Zwela grava vinhetas explicativas sobre nossa plataforma, para tocá-las ao vivo em seus programas e na programação de 24 horas da rádio online do Portal Platina Line!
Escute abaixo o episódio número 30 do Programa Zwela África, com  a primeira vinheta sobre Zarpante gravada pelos parceiros!
Em breve mais novidades sobre os parceiros do Zwela, nossas atividades conjuntas e nossa parceria!
Salve África! Salve Zwela!
Etiquetado , , , , , , , , , , ,
%d blogueiros gostam disto: