Lusofonia!

– A Hora da lusofonia!

– Tribuna de Macau vai lançar suplemento “Lusofonias”

– Brasil apoia Cabo Verde em novo modelo de financiamento para a formação profissional

– Português é 5º idioma mais ‘falado’ na Internet

A GUERRA: Um programa de Joaquim Furtado (RTP). Apresentado de 2007 a 2013. Uma série de 42 episódios

– Apoie o cinema de língua portuguesa!

– Filmes em competição!

A Língua Portuguesa na Internet e a partilha de experiências nos negócios

” Apesar das assimetrias no nível de utilização, a Língua Portuguesa é importante na Internet em volume de utilizadores. O Português é um grande potenciador da troca de experiências de negócios e conhecimentos profissionais em várias áreas da atividade económica, assim como do aumento os negócios entre países onde se fala a língua de Camões. Algumas empresas já o estão a fazer, mas de que estamos à espera para aumentar o nível de partilha?
O português é a quinta língua do mundo em termos de utilizadores na Internet, segundo os dados do Internetworldstats.com e ainda tem bastante margem para evoluir, quando comparamos com a América do Norte, em que a taxa de penetração da Internet na população é de mais de 78%. O Acordo Ortográfico tem suscitado muita discussão e, concorde-se ou não, surge no sentido de aproximar e reforçar a Língua Portuguesa num mundo globalizado. O primado da economia assim o obriga. Basta referir que o Brasil é o 7º maior mercado de internet no mundo e muitas vezes a versão de websites em Português do Brasil surge primeiro do que a versão de Português Europeu, como é muitas vezes designado.
Em contrapartida, em Portugal o crescimento do Produto Interno Bruto tem verificado uma estagnação nos últimos 15 anos, tendo-se verificado uma divergência em relação aos valores registados pela União Europeia. Esta situação estava de certa forma prevista no Livro Verde para a Sociedade da Informação em Portugal (Missão para a Sociedade da Informação, 1997), que perspectivava a transformação necessária e já alertava para o aparecimento de novas oportunidades de negócio, que exigiam soluções criativas e formas inovadoras de desenvolver a distribuição e a comercialização dos produtos e serviços. As questões levantadas no documento num contexto de globalização permanecem actuais. Como refere o texto, «no caso português, fundamentalmente caracterizado pela predominância das PME e, face às naturais condicionantes geográficas de país periférico, o desenvolvimento e generalização da implantação de estruturas de suporte a redes de empresas irá decerto constituir um factor de sobrevivência num cenário de economia global». Passados 15 anos da data desta publicação, o país encontra-se em clima de recessão económica. O ano passado ficou para a história de Portugal pelo ano em que o FMI voltou a entrar no país depois dos anteriores pedidos de intervenção de 1977 e 1983 e o presente ano tem sido marcado pela austeridade e pelo desemprego. Apesar da situação económica, Portugal tem a população com maior nível de escolaridade da sua própria história.
Há países de Língua Portuguesa que, apesar de também se verem afetados pela conjuntura atual, têm experimentado crescimentos nos últimos anos. Este é o caso do Brasil, que integra os BRIC (acrónimo BRIC, que corresponde à crescente importância e potencial de países como o Brasil, Rússia, Índia e China, criado por Jim O’Neill da consultora Goldman Sachs em 2001). Outros casos interessantes são o desenvolvimento económico de Angola e de Moçambique,  encarados como um caso de sucesso entre as economias africanas.
Como além da língua, partilhamos uma cultura que nos diferencia das outras, de que estamos à espera para tornar esse fator uma vantagem? As empresas portuguesas estão a procurar sair da sua zona de conforto para encontrar soluções para a crise lá fora, em mercados com taxas de crescimento mais elevadas.
Os países de língua portuguesa poderão encontrar em Portugal a sua entrada no mercado europeu, assim como colaborar na construção de conhecimento e partilha de tecnologia em português. Todos os países têm muito a ganhar com esta cooperação, desde a partilha de conhecimento nas escolas e universidades à construção de empresas com maior massa crítica no mercado globalizado.
Para que a Língua cumpra a sua função unificadora, a comunicação empresarial tem de estar à altura do desafio e as empresas têm de reconhecer a sua importância, aos mais variados níveis. Para manter os negócios na era da Internet, é preciso respeitar a Língua Portuguesa e expressar-nos de forma clara para evitar equívocos decorrentes de vivências culturais diferentes e estereótipos. A comunicação fluída permite construir um ambiente de confiança entre os diferentes povos, condição indispensável para o estabelecimento de relações empresariais.”
Fonte: Sotaques

Concurso “Vozes da diáspora cabo verdiana” 2012:

Vozes da diáspora 2012

Inscrições para o concurso de 2013:

Regulamento:Inscrição:

1. Não há limite de idades; (só inscrições individuais).

2. Interpretar a solo uma música em Crioulo e outra em Português.

3. O participante tem que residir em Portugal.

4. Inscrição: vozesdadiasporacv@gmail.com até 22 Dezembro 2012: Enviar: Nome completo; Morada completa; Código Postal; Nº telemóvel e telefone; Cópia BI/Passaporte, as pessoas que não têm a nacionalidade Cabo-verdiana têm que enviar uma cópia de um documento que prove a sua relação com Cabo Verde (inscrições só por E-mail).

5. Caso seja menor – Declaração dos pais autorizando que a criança participe no concurso e caso tenha que se deslocar á final internacional (ficha de inscrição).

Audições:

6. Estão previstas pré-audições nas localidades onde o número de inscrições justifique.

7. Os candidatos selecionados nas audições serão notificados no final da mesma.

8. O participante deverá se apresentar no local, dirigindo-se á secretaria das audições 30 minutos antes da hora marcada para o início (a secretaria estará a funcionar no local da audições).

9. Data, hora e morada das audições serão enviadas por E-mail aos participantes com 15 dias de antecedência.

10. Na audição é obrigatória a apresentação do documento de identificação utilizado no preenchimento a ficha de inscrição.

11. Os participantes podem apresentar duas músicas à sua escolha.

12. Os participantes que forem selecionados para concurso devem identificar as músicas que pretendem cantar no concurso final, para deixar a informação ao Júri e equipa técnica para poderem preparar a parte instrumental para o concurso final.

13. As despesas com viagens, alojamento e alimentação para as audições são encargo dos concorrentes.

Ensaios:

14. Estão previstos ensaios para os concorrentes selecionados para o concurso, que se realizarão preferencialmente aos fins-de-semana, as datas e moradas da sua realização
serão coordenadas pela organização entre os participantes e equipa técnica.

15. A data, hora e local serão informados com antecedência de 8 dias.

16. O candidato deverá se apresentar sempre com antecedência de 30 minutos antes do início do ensaio.

17. As despesas de transporte, alimentação, hospedagem e eventuais despesas de saúde, do concorrente e eventuais acompanhantes para os ensaios, são da responsabilidade do participante.

Concurso:

18. O concurso terá no máximo entre 9 e 12 concorrentes.

19. A ordem de apresentação será efectuada por ordem alfabética (1º nome).

20. A organização reserva-se no direito de realizar atividades de angariação de fundos, nos locais de realização dos eventos.

21. Todos os concorrentes receberão Certificado de Participação e correspondente classificação final.
22. Cada concorrente terá 1 convite para um acompanhante assistir ao concurso.

23. As despesas com viagens, alojamento e alimentação para o concurso são da responsabilidade dos participantes.

Júri:
24. O Júri é composto por pessoas ligadas á área da música com conhecimentos teóricos e técnicos: Editoras/Promoção de música/Produção de música/Canto.

25. As decisões dos Júris são finais e sem direito a recurso.

26. Vencedor: “Prémio” pacote formativo que inclui aulas de música e canto.

Outros eventos:
27. O projeto prevê a participação dos finalistas, em eventos de promoção.

Concurso: Festival Revelação Vozes da Diáspora
28. O finalista do Vozes da Diáspora, melhor classificado, com idade entre os 12 e 19 anos, será convidado a participar no Festival Revelação Vozes da Diáspora (que está previsto para Luxemburgo em Julho 2013).

29. O Vozes da Diáspora- Portugal, não tem qualquer influência na realização do curso Internacional Festival Revelação Vozes da Diáspora, por este motivo não se responsabiliza por alterações no programa.

30. Atualização de novos desenvolvimentos, contatos e informações sobre o evento, Um elemento da

organização acompanhará a/o participante (no local a realizar o concurso internacional).

31. Transportes (ida e volta do aeroporto, ensaios e outras deslocações), estadia e alimentação em parceria com a organização do evento Internacional.

32. A viagem para o aeroporto mais próximo é a cargo do Vozes da Diáspora.

Disposições finais:
33. A Organização do Concurso reserva-se aos direitos (som e imagem) de gravação áudio e vídeo, fotográficos e de difusão, pela rádio, televisão e internet, das provas dos candidatos, não sendo por isso devido quaisquer contrapartidas aos concorrentes.

34. Ao assinar a Ficha de Inscrição, o candidato declara estar de acordo com as condições deste Regulamento.

35. Todos os concorrentes devem estar presentes no anúncio dos premiados e na parte final do concurso.
36. A Organização do Concurso manterá os candidatos informados de todos os procedimentos relativos ao concurso.

37. Os casos não previstos no regulamento, omissões e dúvidas, serão resolvidos pela organização, cujas decisões são soberanas e sem possibilidade de recurso.

38. Na escolha das mesmas músicas pelos participantes, júri irá propor soluções aos participantes em questão, caso não se consiga um acordo, será decidido por sorteio.

39. O Concurso de Vozes da Diáspora em Portugal é regido por este regulamento, sendo inválidas quaisquer cláusulas e disposições de regulamentos das versões de outros concursos do género.

– OS CONCERTOS DA ROTA DAS LETRAS

Macau Tower

Image via Wikipedia



O mundo lusófono encontra-se com a China num fim-de-semana musical inesquecível: Soler, YFM, Noiserv e a nova diva Cabo-Verdiana Nancy Vieira, são apenas alguns dos fantásticos músicos que vão actuar no Fórum de Macau, a 3 e 4 de Fevereiro.

A festa musical da “Rota das Letras”, o primeiro festival literário de Macau, promete ampliar o brilho do encontro entre escritores e cineastas lusófonos e chineses além da palavra escrita. Uma série de concertos nos dias 3 e 4 de Fevereiro de 2012, prometem electrizar o Fórum de Macau, prolongando as trocas culturais e artísticas do festival, que junta aclamados autores chineses como Su Tong e Xu Xi com escritores portugueses pretigiados como José Luís Peixoto, J. Rentes de Carvalho e José Rodrigues dos Santos, entre outros.
“Escrever não é apenas um exercício de ficção ou de poesia, também se escreve para filmes e para música,” realça Ricardo Pinto, director da Rota das Letras. “As palavras cantadas são também muito importantes e limitar o festival a uma troca de experiências apenas entre escritores com livros publicados seria um pouco redutor,” adianta.
“Música significa também celebração e o festival tem como um dos seus objectivos fazer desta semana uma grande festa,” conclui Ricardo Pinto.
Esta série de concertos arranca no sábado, 3 de Fevereiro com a banda local Turtle Giant, que combina a música dos irmãos macaenses/brasileiros Fredji e Beto Ritchie com a voz única do compositor e cantor Macaense António Conceição (conhecido como o Monstro).
Em seguida, é a vez da sensação electrónico-pop YMF – Yue Fei Men (que significa Novo e Harmonioso Relâmpago), uma banda de Cantão, liderada pela cantora Jiangfan. A primeira noite vai fechar com chave de ouro com o famoso dueto de Macau, Soler.
No Domingo, 4 de Fevereiro, o palco está reservado aos músicos e cantores lusófonos, a começar por Noiserv, a banda de um só músico – David Santos. Santos é um músico multi-instrumental que participou, entre outros projectos, na banda sonora do filme “José e Pilar”, um pré-candidato ao Oscar de melhor filme estrangeiro (uma película focada na relação entre o nobel da literatura José Saramago e a sua mulher, Pilar del Rio).
Do Brasil, chegam os ritmos dub, urbanos e reggae de Andreia Dacal, que se estreou em 2007 com o álbum online “Caos, Roots, Controle”, e que conduz os espectadores numa jornada de experiências musicais, resultantes do trabalho com músicos e produtores portugueses, brasileitos, ingleses e franceses.
E a marcar o encerramento do festival e da maratona de concertos, a cantora Nancy Vieira que foi já descrita como a “nova Cesária Évora,” vai brilhar no palco do Fórum com canções do seu último álbum “No Amá” e com clássicos da música cabo-verdiana, incluindo um muito esperado tributo a Cesária, a diva dos pés descalços, que morreu recentemente.
Todos os concertos vão decorrer no Fórum de Macau, com início às 20 horas nos dias 3 e 4 de Fevereiro de 2012.

Link oficial: http://www.macauticket.com/ticketweb/ProgramInfo.aspx?proCode=P-000554
Local: Fórum de Macau, Avenida Marciano Baptista, Macau (ao lado dos museus do Grande Prémio e do Vinho)
Data: 3 e 4 de Fevereiro
Hora: 20.00 h
Bilhetes: MOP280 à venda nas agências da Kong Seng e na Livraria Portuguesa (Rua de São Domingos, 18-20, r/c, Macau, Tel: 28515915)

Zarpante valoriza que  cantora Andreia Dacal  esteja representando o Brasil em Macau! E lembramos a todos que ela tem um projeto em nosso site!

Todos os álbuns da cantora se encontram na grande rede para download livre, sob licença CREATIVE COMMONS, no entanto nas apresentações públicas e participações por onde a artista circula pessoalmente, tais como pequenas lojas e estabelecimentos que atuam na difusão da música reggae independente brasileira, se faz necessário e é muito requisitado o material fisico da artista. Tanto para ações de divulgação quanto para atender ao público e imprensa que requisita. Para isso , contamos com seu apoio no link seguinte, http://www.zarpante.com/investment/prensagem-do-1018, a fim de prensar 3000 discos, para livre distribuição e circulação pelo Brasil juntamente com a movimentção da própria artista em sua trajetória de shows , participações e viagens.

Confiram abaixo alguns vídeos de Andreia Dacal:

– Concurso Lusófono da Trofa

“Concurso Lusófono da Trofa, patrocinado pelo Instituto Camões, dirige-se a criadores de todos os países de língua oficial portuguesa, na área da literatura infantil. Candidaturas abertas até 21 de abril de 2012.

O Concurso Lusófono da Trofa 2012, conto infantil, pretende criar e desenvolver hábitos de leitura, valorizando a escrita criativa e a expressão literária e divulgando nos países de língua portuguesa não só autores consagrados, como os novos talentos que se revelam.

O Concurso oferece três prémios: Prémio Matilde Rosa Araújo, no valor de 1.500 euros, para o melhor conto; Prémio Lusofonia, no valor de 400 euros, para o melhor conto de cada país que não seja contemplado com o Prémio Matilde Rosa Araújo; Prémio Ilustração, no valor de 500 euros, em que os criadores ilustram um mesmo excerto da obra “A Fita Vermelha” da referida autora.”

fonte: Instituto Camões.

Saibam mais no link seguinte: http://www.mun-trofa.pt/

cliquem no lnk seguinte para baixar o regulamento para o concurso: premio_trofa_regulamento

– Estudar português na China!

O Instituto Camões e a editora LeYa estão a desenvolver metodologias de ensino do português a distância, uma nova ferramenta também a ser usada nas escolas de Macau e no continente chinês, disse à agência Lusa a presidente do instituto.

– Brasil discute economia criativa com Portugal:

“A secretária da Economia Criativa do Ministério da Cultura, Cláudia Leitão, apresenta nesta sexta-feira (21/9), em Lisboa, o primeiro painel do Seminário Cultura, Ciência e Tecnologia: novos modelos de sustentabilidade, evento que faz parte da programação do Ano do Brasil em Portugal.

A abertura do seminário será feita pelo presidente da Funarte (Fundação Nacional de Artes) e Comissário Geral do Ano Brasil Portugal, Antonio Grassi, e pelo presidente da Câmara Municipal de Lisboa, António Costa.

O encontro contará, ainda, com exposições de representantes dos setores criativos brasileiros, como o estilista Ronaldo Fraga e o designer Marcelo Rosenbaum, além de empreendedores criativos europeus, intelectuais e gestores públicos.

Ao falar do trinômio cultura, desenvolvimento e sustentabilidade, Cláudia Leitão abordará os modelos econômicos hegemônicos e os caminhos para o crescimento no século 21.

O tema da exposição da titular da SEC é Conexões Criativas entre ciência, arte e desenvolvimento: uma homenagem à Gastón Bachelard e a Celso Furtado, oportunidade em que proporá uma “reflexão” a partir das ideias dos dois pensadores e discutirá acerca das pretensões para o desenvolvimento das nações.

*Com informações do site do MinC”

Fonte: Empreendedores Criativos

Conheça também outras páginas do nosso blog:

– Africanidade

– Angola

– Timor Leste

– Brasil

Anúncios

Um pensamento sobre “Lusofonia!

  1. Carmem de Paula disse:

    Muito interessante e inédito o blog ZARPANTE.
    Já me inscrev í e convido todos a fazerem o mesmo porque vale a pena. Não devem perder essa oportunidade de conhecer êsse trabalho tanto cultural como artístico.
    Participem…………………………………………..
    Tchau

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: