Líder do Radiohead defende os direitos dos artistas

Os tempos mudam, os problemas persistem…

A industria musical sempre teve um grande problema: quem mais ganha com a venda de um disco, são as gravadoras e não os músicos. A internet, e seus novos meios de distribuição representam uma alternativa interessante, que poderia realmente mudar a maneira como se produz e como consumimos música. Poderia ser o caso do site Spotify, que surge como um dos novos líderes no mercado da música digital, mas que precisaria ter uma melhor repartição dos ganhos entre gravadoras e artistas, para não vir a ser apenas mais uma simples reprodução online, das lojas offline.

Thom Yorke, Radiohead, e também Nigel Godrich, produtor do grupo, declararam guerra à plataforma sueca de streaming, Spotify. Eles estimam que a plataforma remunera mal os novos artistas e por consequência, eles retiraram todos seus trabalhos do site.

Eis o que disse  Thom Yorke no Twitter: « Não se enganem: os novos artistas, que vocês descobrem no Spotify, não serão pagos. Enquanto isso, os acionários estão enchendo os bolsos».

Ele estima que «pequenos labels e jovens artistas» não podem chegar lá vendendo suas músicas pelo Spotify.

Calcula-se que  para cada música escutada, o artista fique com um valor entre 0,003 et 0,005 Euros! Um sistema que não é realmente rentável para os “pequenos”. Ninguém há de negar!

As grandes gravadoras como Warner, Universal e Sony, acionistas do Spotify, ficam com a maior parte dos fundos. E é exatamente contra isso que Thom Yorke e seu grupo estão revoltados, mas apesar de terem reaberto o debate, tem muitos artistas por aí que discordam do Radiohead!

radiohead-in-rainbows

Tim Vignon, o ex manager do grupo Streets (que se fosse realmente artista não seria manager), pergunta:

«Se o grupo se sente tão preocupado com os novos artistas e suas remunerações, porque que eles não doam alguns de seus milhões a alguns desses novos artistas?». Esse mesmo rapaz, trabalhou como acessor de imprensa para The Verve, e na época, criticou o Radiohead por ter lançado gratuitamente um álbum deles pela net. Agora Zarpante pergunta: A música é do Radiohead certo? Então quem é o acessor de imprensa dos The Verve para falar sobre o que Radiohead deveria ou não fazer com sua própria música?

Tim Vignon argumenta:

« Um grupo que nada no dinheiro, resolve distribuir um cd gratuitamente unicamente poque eles podem se dar esse privilégio. Além do mais isso promoveu uma tourné mundial muito rentável, sem falar no dinheiro vindo das rádios, etc […]».

Quanta à Spotify, eles argumentam o seguinte:

«Nós já pagamos 500 milhões de dólares aos músicos sob forma de direitos autorais e até o fim do ano esse número irá atingir a marca de 1 bilhão de dólares. Boa parte desse dinheiro é investido para fomentar novos talentos e produzir novos grupos».

Radiohead, e seu líder Thom Yorke, desejam « encontrar um sistema no qual os artistas, os produtores, e todos os criadores de música, possam receber o que eles julgam ser uma remuneração justa e equlibrada»

O debate está apenas começando!

E você músico português, angolano, brasileiro, etc… O que acha desse debate?

Etiquetado , , , ,

Um pensamento sobre “Líder do Radiohead defende os direitos dos artistas

  1. […] Isso significa que para os Rolling Stones (ou Metallica, Jay-Z ou Pink Floyd), colocar suas músicas em plataformas de streaming é uma escolha lógica, apesar de que vimos recentemente que o Radiohead decidiu sair do Spotify, em solidariedade aos “pequenos” e novos artistas. […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: