Podcast Zarpante episódio 1

Anúncios

22 pensamentos sobre “Podcast Zarpante episódio 1

  1. […]   11  Garota de Ipanema       Amy Winhehouse 12  Mar Nha confidente      Cesaria Evora – Podcast Zarpante 01 – Podcast Zarpante 03 – Podcast Zarpante 04 – Podcast Zarpante 05 – Podcast Zarpante 06 – Podcast […]

  2. […] – "Kuakié!… Makèzú…" ……………………………………….. O pregão da avó Ximinha É mesmo como os seus panos Já não tem a cor berrante Que tinha nos outros anos. Avó Xima está velhinha Mas de manhã, manhãzinha, Pede licença ao reumático E num passo nada prático Rasga estradinhas na areia… Lá vai para um cajueiro Que se levanta altaneiro No cruzeiro dos caminhos Das gentes que vão p´ra Baixa. Nem criados, nem pedreiros Nem alegres lavadeiras Dessa nova geração Das "venidas de alcatrão" Ouvem o fraco pregão Da velhinha quitandeira. – "Kuakié!… Makèzú, Makèzú…" – "Antão, véia, hoje nada?" – "Nada, mano Filisberto… Hoje os tempo tá mudado…" – "Mas tá passá gente perto… Como é aqui tá fazendo isso?" – "Não sabe?! Todo esse povo Pegô num costume novo Qui diz qué civrização: Come só pão com chouriço Ou toma café com pão… E diz ainda pru cima (Hum… mbundu Kene muxima…) Qui o nosso bom makèzú É pra véios como tu." – "Eles não sabe o que diz… Pru qué Qui vivi filiz E tem cem ano eu e tu?" – "É pruquê nossas raiz Tem força do makèzú!…" (No reino de Caliban II – antologia panorâmica de poesia africana de ex- pressão portuguesa) -Podcast Zarpante 01 […]

  3. […] – "Kuakié!… Makèzú…" ……………………………………….. O pregão da avó Ximinha É mesmo como os seus panos Já não tem a cor berrante Que tinha nos outros anos. Avó Xima está velhinha Mas de manhã, manhãzinha, Pede licença ao reumático E num passo nada prático Rasga estradinhas na areia… Lá vai para um cajueiro Que se levanta altaneiro No cruzeiro dos caminhos Das gentes que vão p´ra Baixa. Nem criados, nem pedreiros Nem alegres lavadeiras Dessa nova geração Das "venidas de alcatrão" Ouvem o fraco pregão Da velhinha quitandeira. – "Kuakié!… Makèzú, Makèzú…" – "Antão, véia, hoje nada?" – "Nada, mano Filisberto… Hoje os tempo tá mudado…" – "Mas tá passá gente perto… Como é aqui tá fazendo isso?" – "Não sabe?! Todo esse povo Pegô num costume novo Qui diz qué civrização: Come só pão com chouriço Ou toma café com pão… E diz ainda pru cima (Hum… mbundu Kene muxima…) Qui o nosso bom makèzú É pra véios como tu." – "Eles não sabe o que diz… Pru qué Qui vivi filiz E tem cem ano eu e tu?" – "É pruquê nossas raiz Tem força do makèzú!…" (No reino de Caliban II – antologia panorâmica de poesia africana de ex- pressão portuguesa) -Podcast Zarpante 01 […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: